LIBERDADE DE ESCOLHA

Uma coisa que me irrita demais, como uma ervilha debaixo do meu colchão é gente que confunde vontade própria com machismo. O machismo é um tipo de uma maldição que toda mulher já nasce meio que predestinada a sofrer (e se você pensou “claro que não!”, más notícias…). Talvez um dia seja erradicada no mundo, e eu só torço para que, quando esse dia chegar, não tenha volta, ao contrário do ebola, por exemplo.

Machismo é uma coisa (horrível) e vontade própria é outra. A vontade própria pode estar permeada por hábitos machistas? Pode. É necessariamente machismo? Não. Inclusive, pode ser que nem seja uma coisa ou outra, pode ser apenas medo. Pode ser que seja todas as alternativas.

Você pode criticar sua amiguinha pelos desejos e prazeres dela? Pode. Tá certo? Não.

 

– Eu não gosto de usar saia curta porque não é coisa de mulher direita (machismo)

– Eu não gosto de usar saia curta porque acho feio, não curto (vontade própria)

– Eu não uso saia quando ando de ônibus ou ruas desertas (medo)

 

– Eu não quero trabalhar fora porque mulher tem que cuidar da casa e dos filhos (machismo)

– Eu não quero trabalhar fora porque não gosto. Me sinto realizada em casa cuidando dos meus filhos (vontade própria)

– Eu não quero trabalhar fora porque eu não tenho competência e não tenho com quem deixar meus filhos (medo)

 

– Eu gosto de dar de quatro porque meu parceiro gosta (machismo)

– Eu gosto de dar de quatro porque é uma delícia (vontade própria)

– Eu não dou de quatro porque vai que dói (medo)

 

– Eu preciso ter filhos porque é o papel social da mulher (machismo)

– Eu quero ter treze filhos porque eu adoro e não vejo a hora (vontade própria)

– Eu não quero ter filhos porque eu tenho que trabalhar muito ainda (medo/vontade própria)

 

– Eu não faço sexo de determinados jeitos porque não é coisa de mulher decente (machismo)

– Eu não faço sexo porque não curto mesmo, acho sem graça (e não, não adianta ser o mago do sexo pra mostrar como funciona) (vontade própria)

– Eu não faço sexo porque vão ficar falando de mim (medo/machismo)

 

– Eu uso sutiã porque é o certo, meu marido/mãe/filha/padeiro/professora me falou (machismo)

– Eu uso sutiã porque me sinto melhor, não balança (vontade própria)

 

A mulher nasce meio que sentenciada a sofrer um machisminho, ou um machismão enorme pelo menos uma vez na existência. Mas o que mata mesmo é gente que jura estar defendendo a causa de uma vida melhor para as mulheres, querer definir o que ela tem direito/dever de querer ou não querer.

 

Apanhar nem entra ali porque machucar qualquer pessoa é um abuso e “mas ah! Tem mulher que gosta de uns tapa”, tem homem que gosta também, e entra numa esfera bem diferente de surra.

 

 

nickass

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s